segunda-feira, 3 de maio de 2010

Foi o Adiar da Festa



O empate era o meu palpite, que agradava a quem queria fazer desde já a festa.
Esteve bem distinguido primeiro no relvado que dava justeza ao ombro a ombro de duas equipas com pensamentos diferentes.
Uma apostava na vitória para apagar recentes memórias.
E a outra apostava no menos mal que era o empate, para garantir desde logo a festança.
Durante alguns minutos no ecrã gigante que protege do vento de uma das aberturas do dragão. O empate era bem legível, levando muitos espectadores a vaticinarem como resultado final. Mais a mais com o Porto reduzido a dez, parecia um mal menor, para quem poderia tudo arriscar e nada alcançar.
Mas durou pouco e o Porto ainda o Benfica vivia sob o sabor do golo que dava o pensamento da festa. Voltou à dianteira no marcador e aí o sonho terminou!
O Benfica foi às cordas e levou mais um soco. Terminando o jogo a pensar que a ultima jornada será a garantia do soltar da rolha do champanhe que ainda se encontra amordaçado na arca dos gelados.
O Porto venceu mas pouco lucrou a não ser a vitória merecida sobre o futuro campeão. Já que só lhe garantiu a consolidação do terceiro lugar. Tão longe do lugar que anos seguidos foi seu e ainda mais longe dos milhões que ano a pós ano amealhou.

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O empate também era o meu palpite. Desculpe a clubite mas...felizmente enganei-me. Foram 3 e podiam ser mais. Um campeão não pode perder um jogo contra 10, principalmente depois de ter empatado.

Nuno Pereira disse...

Concordo com o que diz!
O Benfica não conseguiu superar o ambiente e viveu inseguro do principio ao fim.