sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

O Dia D de Obama


Meu Deus, como é aguardada a tomada de posse deste homem, autentico Messias da era moderna, sem milagres a prometer, já que milagres só existiram na criação deste nosso mundo. Infelizmente cheio de pessoas promiscuas viradas para o prazer satânico e mergulhadas na corrupção que corrói a sociedade.
Este Messias de cor, aguardado ansiosamente depois destes anos de penúria económica e financeira, para trazer a mensagem da esperança na rápida normalização desta malfadada crise, que nos afecta grandemente e nos está a levar para bem perto do abismo.
Aguarda-se o dia da tomada de posse, como se aguardou a mudança do século. Onde todos emocionados desejamos: ESPERANÇA em dias melhores. ALEGRIAS na melhoria da qualidade de vida. E HUMANIDADE no tratamento justo entre todos e para todos.
Por isso, tudo está a ser ultimado ao pormenor!
Será a tomada de posse que ficará ligada à história presente e futura!
A grandeza deste evento, não terá nada que se assemelhe, até então.
Será elaborado ao pormenor para convidados ilustres, escolhidos a dedo. Saídos de Países amigos, Países que não interessa ser inimigo e Países prontos a serem convidados como figuras de protocolo.
Onde juntando muitos! E outros tantos, que tudo davam para lá estar. Promovem a sua força como a potência marcante neste globo, cada vez mais inseguro.
Os média (de todos os quadrantes), serão o baluarte da passagem da mensagem, na hora, no momento, na oportunidade. Por isso serão meticulosamente seleccionados pelas suas características, pelas suas tendências, pelas suas aptidões.
Mas o discurso de Obama, será o apogeu da cerimónia!
Será no discurso de Obama que milhões e milhões de esfomeados por uma resposta, se irão desesperadamente agarrar.
E para isso, Obama já se preparou da melhor forma que sabe, em captar o momento que vivemos. E que momento.
Esse mesmo discurso será o balão de oxigénio para aliviar a moribunda economia Americana, que por sua vez irá relançar as restantes economias mundiais. Como forma de trampolim para definitivamente se encarreirar nos caminhos da normalidade, como base de sustentação para uma vida onde todos a possamos agarrar, porque as oportunidades surgem a qualquer momento.
Preservar proteger e defender! Serão as palavras-chave do juramento de Obama, perante a bíblia do seu já longínquo antecessor, que segundo ele é e será a sua fonte de inspiração!
Aguardemos os primeiros sinais das medidas deste homem.
Que tem a noção da enorme responsabilidade que transporta sobre os ombros. Mas que orgulhosamente e alegremente confia na sua equipa para vencer os enormes desafios que este mundo criou.
O dependermos de uma administração que irá tomar posse dentro de pouquíssimo tempo, para que a economia mundial comece a tomar fôlego. É grave do ponto de vista conjuntural a todos os níveis, dado sentirmo-nos incapazes, de por nós próprios (refiro-me a nível Europeu) descobrir-mos formas de ultrapassar tamanha crise de contornos recessivos em praticamente todos os países. Aqui se explica a enorme dependência face aos Estados Unidos.

1 comentário:

Carlos Santos disse...

Digo-lhe mesmo mais: além de ser grave dependermos disso, é grave copiarmos ideias e planos, quando os contornos da crise não rigorosamente idênticos....

Um abraço,
Carlos