quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Obama e o Seu Lado Humano


Obama num gesto de humildade admitiu que errou, na escolha de Tom Daschle, para ocupar o cargo de secretário de Saúde e Recursos Humanos. E a mulher Nancy Killefer, vice-directora do gabinete de Gestão e Orçamento.
Sabe-se que eram amigos. Imagina-se o apoio demonstrado por ambos na caminhada de Obama rumo à Casa Branca. Mas as nódoas fiscais de cada um, continuaram cravadas nas suas vidas sem eles realmente perceberem que:
Obama quer acima de tudo transparência, humildade e verdade na sua equipa! Sempre foi esse o seu caminho e portanto cada pessoa potencialmente capaz e escolhida por ele, tinha que resolver os seus problemas fiscais e outros, muito antes de rodearem Obama para serem potenciais candidatos a fazerem parte da sua equipa.
É confrangedor, pessoas importantes com provas dadas. Bem conhecidas da política e de outras áreas da sociedade Americana. Deixarem-se apanhar com o rabo de fora na altura que assumem cargos de elevada envergadura. Será que são tão anjinhos que não se apercebem que, qualquer sombra negra que o seu passado é revestido, irá descarregar todo o seu conteúdo, logo que o seu nome seja apontado para chefiar algo de importante e logo nesta fase de periclitante penúria Financeira e agitação Social.
Valha-nos a hombridade de renunciarem aos cargos para que tinham sido indicados, evitando desse modo especulações e empolações, que só iriam atrasar o plano de recuperação engendrado por Obama, para estancar a longa avalanche que nada a parece deter de encontro à desgraça Social.
Mas voltando a Obama, o seu gesto foi humilde ao admitir, que uma das pedras de uma longa caminhada foi encontrada, no interior do seu sapato.
Todo o mundo foi peremptório em aceitar o erro e reconhecer que este homem é humano. As suas palavras em relação ao facto foram de uma simplicidade e de uma clareza sem igual.
Mas atenção! Um homem que chefia uma grande nação, que praticamente se uniu em sua volta para o eleger chefe supremo, suplantando barreiras até então intransponíveis. Não pode passar por amarguras como estes escândalos.
A sua vasta equipa de assessores terá que doravante assegurar a plenitude de informações ao mestre Obama. Porque Obama não poderá se retratar novamente perante as câmaras de todo o mundo. Dando a ligeira inquietação de que os erros poderão ser usuais.
Seria o princípio do fim na grande aposta em Obama! O princípio do fim que fará ressuscitar os poucos adversários recatados em esconderijos a céu aberto com aqueles sorrisos envenenados, prontos a apoderarem-se do mais pequeno indício de fraquejo, de falta de capacidade.
Mas todos sabemos da sua raça, do seu querer praticamente inabalável!
E desejamos, que a sua força em vencer tamanho tornado de espinhos encravados na sociedade americana. Detenha ainda que de uma forma ligeira (porque a profundidade é assustadoramente negra), a proliferação desses mesmos espinhos. E um a um serão retirados, colocando no seu lugar uma semente que anunciará a tão ansiosa chegada da Primavera da recuperação!

3 comentários:

Carlos Santos disse...

Excelente! É preciso ler isto para nos lembrarmos porque "votamos todos" neste homem. A forma como o Nuno olha o mundo, plena de sentimento e empatia merece um louvor especial. E agora escrever um posto no blogue, mas vou mudar o início, pedindo que leiam primeiro o seu. "A Audácia da Esperança" é o que transparece deste texto.
Bem haja por isso. Um abraço,
Carlos

Nuno Pereira disse...

Caro Carlos,
É um orgulho ser citado no seu blogue e logo com elogios de corar!
já o acompanho à longos meses, aprendo muito com os seus conhecimentos. e como estamos sempre a aprender, o Carlos é uma referência.
um abraço!

OnlyMe disse...

Bom fim de semana Nuno.
Bom descanso e vem aí outro domingo ;)
Aproveita-o bem! :D

Jinhos :)